Nova plataforma digital com uso de simulador fortalece o ensino médico

7 de julho de 2020

Existe um grande impacto positivo dos avanços tecnológicos, principalmente, quando são aplicados na prática de ensino. A adoção de plataformas com abordagem educacional na área da saúde, permite que o aprendizado seja realizado a partir de cenários clínicos, simulando os atendimentos a pacientes reais em unidades pré-hospitalares, hospitalares e demais cenários assistenciais. Essa modalidade de ensino tecnológico começou a ser implementada, neste semestre, na Faculdade de Medicina de Petrópolis (UNIFASE/FMP).

“Com certeza é uma nova abordagem de ensino que proporciona ainda mais o treinamento do raciocínio e estimula as tomadas de decisão em menor tempo. Nesta plataforma, o processo de atendimento é registrado para que seja possível fazer a análise da conduta adotada. Então, professores e alunos podem interagir sobre os procedimentos escolhidos, para encontrarem o melhor caminho em prol da recuperação da saúde do paciente. Neste primeiro momento, serão contempladas as áreas de Clínica Médica, Semiologia, Pediatria, Ginecologia e Obstetrícia, incluindo o Internato”, explica Álvaro Veiga, professor de pediatria da UNIFASE/FMP e diretor de ensino do Hospital de Ensino Alcides Carneiro.

Os estudantes do Centro Universitário Arthur Sá Earp Neto/Faculdade de Medicina de Petrópolis (UNIFASE/FMP) já contam com um Centro de Simulação Realística, no campus da instituição, para que possam realizar aulas presenciais em um ambiente simulado, muito próximo ao que vivenciam nas unidades de atendimento com pacientes reais. A aquisição da plataforma Body Interact visa incrementar ainda mais os treinamentos no processo de ensino, desde as fases iniciais do curso de medicina. Além disso, a ferramenta possibilita o atendimento do paciente de forma individual ou em equipe multiprofissional.

“Este novo sistema, além de oferecer os treinamentos, permite que o estudante seja avaliado nos moldes de uma avaliação clínica (OSCE) com o professor, mesmo na modalidade a distância acompanhando a avaliação por meio de checklist. Na modalidade presencial, pode-se lançar mão da abordagem híbrida, quando o aluno pode exercitar o raciocínio diagnóstico e a tomada de decisão em paralelo com a realização de manobras de habilidades de exame físico e procedimentos”, ressalta Cláudia Vasconcellos, responsável pelo Centro de Simulação Realística da UNIFASE/FMP.

A plataforma tecnológica também permite mais autonomia aos acadêmicos, que podem administrar o tempo de estudos, além de estreitar ainda mais os laços de interação aluno-professor.

“Os alunos encontram uma variedade de pacientes virtuais, programáveis para simular diversas complicações de saúde, inclusive, com diferentes faixas etárias, desde bebês até idosos, para que os acadêmicos estejam preparados para prestarem os atendimentos”, destaca Abílio Aranha, coordenador de ensino da UNIFASE/FMP.

No campo das tecnologias intermediárias, utilizadas nos atendimentos simulados, é possível garantir que os estudantes tenham a possibilidade de refazer o mesmo atendimento diversas vezes, identificando a melhor condução para diagnóstico e tratamento.

“Essa abordagem educacional é adotada por universidades renomadas no mundo inteiro. Quando o acadêmico ingressar em uma unidade real de saúde, estará ainda mais seguro para realizar os atendimentos e identificar as melhores práticas que devem ser adotadas para pronta recuperação do enfermo. Afinal, nosso compromisso é com a excelência na formação, sempre priorizando o bem-estar de cada paciente que atendemos”, finaliza Paulo Sá, coordenador do curso de Medicina da UNIFASE/FMP.

Receba notícias & boletins do blog UNIFASE